O REI QUE TROUXE A ESPERANÇA AO POVO

  Monarca com uma inteligência notável e uma cultura e saber vastíssimos, D. Pedro V distinguiu-se dos demais. Profundo conhecedor das “pastas” e decidido a intervir na boa governação do Reino, como era seu dever, elevou-se em relação à classe política medíocre da altura, tornando-se odiado por esta e amado pelo povo. Cognominado “O Esperançoso”,…

O GRANDE ÁLBUM DA FAMÍLIA JUDAICA

    .  Desconstrução de uma história mítica: como foi «inventado» o povo judeu   Será que os judeus formam verdadeiramente um «povo»? Para esta velha questão o historiador israelita Shlomo Sand contribuiu com uma resposta actualizada. Segundo ele, ao contrário da crença popular há muito inculcada, a nação judaica não surgiu só da diáspora…

SALAZAR (PARA UM RETRATO DE FUTURO) visto por um fascista, no ano da sua morte

      Mão amiga (Alberto Araújo Lima) fez-nos chegar um texto publicado  pelo inesquecível Florentino Goulart Nogueira na revista Vanguarda (n.º 7), em Setembro de 1970. Goulart Nogueira foi um impressionante intelectual vanguardista, de incontornável militância nas franjas da «extrema-direita» portuguesa do pós-guerra.   Florentino (nome que detestava) nasceu na Amazónia, em Manaus, e…

HUMBERTO DELGADO: quem havia de dizer?!

    Sabia-se que Humberto Delgado assumira publicamente as suas simpatias para com a Alemanha nacional-socialista em dois artigos publicados na Revista do Ar, em 1941. Afirmara então que «[Hitler] O ex-cabo, ex-pintor, o homem que não nasceu em leito de renda amolecedor, passará à História como uma revelação genial das possibilidades humanas no campo…

Fortificações portuguesas em Portugal

    Do excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por Hélder Afonso apontamos alguns vídeos que ilustram em pormenor o património nacional em termos de fortificações antigas.   FORTE DA ÍNSUA PRAÇA FORTE DE ALMEIDA PRAÇA FORTE DE ELVAS FORTALEZA DE MARVÃO FORTIFICAÇÕES DE MONSARAZ CASTELO DE OURÉM CASTELO DE ALMOUROL CASTELO DE…

«Um Costa matou o Rei/ Outro Costa o Presidente/ E um Costa que eu cá sei/ Foi quem deu cabo da gente» (2ª Parte)

      II   Quando se esperava que após a hecatombe da ribeira do Lys as tropas portuguesas pudessem finalmente repousar, eis que, logo a 13 de Abril, os «patrões» ingleses relançam duas Brigadas na frente. Por essa altura, os efectivos portugueses no teatro de guerra europeu rondavam os 34.600.[1] Dispersos por Divisões britânicas,…