A rir é que a gente se entende: neologismo

      So.cra.te.ar elem comp (lat solu + gr -kratés + ear) 1. Ocultar ou encobrir com astúcia e má-fé; disfarçar com cinismo. 2. Não dar a perceber, esconder, calar. 3. Fingir, simular inocência. 4. Usar a dissimulação; proceder com fingimento, hipocrisia. 5. Desviar o assunto; fugir das responsabilidades. 6. Fazer recair as culpas nos amigos (mesmo que familiares) mais próximos. 7. Negar despudoradamente as evidências. 8. Defraudar, iludir; praticar…

Fortificações portuguesas em Portugal

    Do excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por Hélder Afonso apontamos alguns vídeos que ilustram em pormenor o património nacional em termos de fortificações antigas.   FORTE DA ÍNSUA PRAÇA FORTE DE ALMEIDA PRAÇA FORTE DE ELVAS FORTALEZA DE MARVÃO FORTIFICAÇÕES DE MONSARAZ CASTELO DE OURÉM CASTELO DE ALMOUROL CASTELO DE…

CAMINHANDO SOBRE ESTILHAÇOS DE VIDRO

  Júlio Alberto da Costa Evangelista, de seu nome completo, era natural de Valença do Minho. Advogado de profissão, foi igualmente jornalista e escritor, tendo sido subdirector do jornal diário “A Voz”, de orientação católica conservadora.     Tantos tombaram ao longo do caminho! Tantos caíram inertes, ingloriamente, Sem nada a recordá-los!   Pelo mesmo…

Como nos é imposta a ideologia do género

      Todos os dias nos confrontamos com uma sub-reptícia implantação totalitária da ideologia do género. Nas dóceis e acríticas instâncias colaboracionistas e fracturantes, os seus agentes, quantas vezes apenas para se revestirem das roupagens de comediantes do pretenso modernismo e estarem alinhados com o poder, bombardeiam-nos com um jargão especificamente orientado para se…